Sucatas de Baterias

O Brasil não é autossuficiente em chumbo e que cerca de 40% deste material é importado. Esta realidade amplia a relevância da reciclagem das baterias automotivas, uma vez que 70% do metal chumbo produzido no mundo são empregados na fabricação das baterias.

Não se deve armazenar baterias de chumbo-ácido em lixões (vazadouros a céu aberto) sob pena de provocar malefícios à saúde pública através da contaminação de solo, cursos d’água e lençóis freáticos.

O processo de reciclagem de bateria é dividido em trituração da sucata de bateria com separação do plástico; reciclagem propriamente dita deste plástico e recuperação de grelhas de chumbo ligado. O chumbo segue o processo de: separação, fundição, refino, lingoteamento até a fabricação de novas baterias. O plástico é recuperado e reutilizado na produção de caixas e tampa de novas baterias.

A solução ácida é estocada e neutralizada (mistura de cal para iniciar processo de destilação), filtrado para recuperação dos óxidos e a solução retorna para reutilização.

Apoiamos e intermediamos a retirada e compra de sucatas de baterias (SP e ABCD) através da parceria firmada com a Garcia, empresa que fornece documento para  descarte (Declaração de Coleta e Cadre) e autorizada a retirar, transportar e enviar para descarte ecologicamente correto todas sucatas de baterias dos tipos Chumbo ácida, VRLA e Alcalinas, às empresas credenciadas a destinação correta, conforme as leis ambientais e órgãos competentes e principalmente seguindo a resolução do CONAMA nº 257 de 30 de junho de 1999.

Tipos de sucatas de baterias:

Baterias Automotivas, Baterias Estacionárias, Baterias Tracionárias, Baterias Náuticas, Baterias Recarregáveis e Baterias para NO-BREAKS (VRLA-GEL).