Sucata Eletrônica

Atualmente a quantidade de equipamentos eletro/eletrônicos produzidos é enorme, e vem crescendo constantemente devido ao grande consumo destes produtos pela população, e devido também à pequena vida útil desses produtos. Os computadores pessoais que são descartados globalmente estão quase alcançando a marca de 150 milhões de unidades/ano. Em consequência disso, a quantidade de material defeituoso e obsoleto aumenta com a mesma proporção, sendo necessário o descarte. Pode ser classificado como sucata eletrônica / lixo tecnológico: celulares, rádios, televisores, pilhas, baterias, computadores e equipamentos de microinformática, filmadoras, ferramentas elétricas, DVDs, eletrodomésticos portáteis, lâmpadas fluorescentes, brinquedos eletrônicos, entre outros. Essa Sucata / Lixo tecnológico pode ter componentes reaproveitados de diversas formas e reciclados, chamados de e-lixo.

A reciclagem da sucata desses materiais ainda é muito limitada devido à complexidade na fabricação desses produtos. Desses equipamentos, podemos obter elementos químicos como níquel, paládio, alumínio, estanho, ouro, chumbo e principalmente, cobre.

Com uma tonelada de sucata, podemos reaproveitar 53kg de cobre, obtendo assim uma grande economia.

Além da recuperação desse cobre, que é considerado um metal caro, ainda há a separação, impedindo que o chumbo contamine o meio ambiente.

Tipos de sucatas eletrônicas:

Placa mãe, circuito verde, placa leve e pesada, placa de celular, placa de DVD, computador, CPU completas, celular, hub, transformador, memória, hd, fonte de notebook, processador de barro, processadores de plástico, fontes ATX, nobreak, estabilizador, monitor LCD e VGA, placa de telefonia, central de PABX em geral, entre outros.

Significados e exemplos:

Hard disk (HD): disco rígido, geralmente feito de alumínio e composto por uma placa leve na parte de baixo.

Lixo Digital: são predominantemente os componentes em desuso de um  computador (periféricos ou não) como teclados, CPUs, Drives, impressoras, monitores,  Hds, etc, assim como peças inteiras ou montadas de celulares. Conhecido também como sucata digital.

Material Inteiro: equipamentos  sem desmonte das  peças que o compõe (sem processamento).

Material no Estado: é todo equipamento encostado, sem uso, devido problemas técnicos com possibilidade de recuperação, geralmente ultrapassado.

Material processado: equipamento desmontado e separado por peças.

Mercadoria Processada: é a descaracterização de produtos eletroeletrônicos e de informática, em geral por meio de seu desmonte e separação de peças.

Placa: espécie de cartão de circuitos  que fica dentro do computador (contendo componentes eletrônicos, como chips e outros).

Placa de conectores: placas caracterizadas por seus pinos dourados.

Placa leve: contém circuitos integrados (CIs) de pouco peso.

Placa leve com ponteira: contém circuitos integrados (CIs) de pouco peso e bordas douradas.

Placa Mãe: considerada placa leve com conectores (motherboard)

Placa Marrom: geralmente da cor marrom ( e verde), quebra fácil, chamamos também de placa podre.

Placa pesada: contém poucos (CIs) e componentes pesados, como capacitores, transformadores, ferro alumínio e outros.

Placa pesada com ponteira: contém poucos (CIs) e componentes pesados, como capacitores, transformadores, ferro alumínio e outros, com borda dourada.

Processador Cerâmico: composto de pinos dourados e base cerâmica, geralmente na cor azul/cinza. Modelos (486, 586, Pentium antigo). Geralmente tem mais valor que os processadores plásticos.

Processador plástico: composto de pinos dourados com base plástica, geralmente preto ou verde.  O modelo Pentium II, parecido com cartucho, geralmente não se vê os pinos dourados e possuí ponteiras.

Desmanufatura: descaracterização de produtos eletroeletrônicos e de informática em geral por meio de seu desmonte e separação de peças. Chamamos também de mercadoria processada, ou manufatura reversa.

Manufatura Reversa: quer dizer que os produtos após completar o seu ciclo de vida não são descartados totalmente, passam por um processo de desmontagem, descaracterização e reaproveitamento das partes recicláveis de forma a reduzir seu impacto ambiental.

Economia Circular: é um conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação, reciclagem de materiais e desenvolvimento econômico com uma visão mais contínua e cíclica de produção, na qual os recursos deixam de ser somente explorados e descartados e passam a ser reaproveitados em um novo ciclo ou viram insumos para a produção de novos produtos.

Armazenamento Temporário: após o processo de separação e classificação, os resíduos são armazenados temporariamente aguardando a destinação final.

Destinação Final: os materiais seguem para indústrias e empresas especificas que reutilizam os materiais reciclados